PAREDE DIAFRAGMA

   A Parede Diafragma é uma cortina de concreto armado moldada em obra utilizada em terrenos onde as escavações internas de uma obra interceptam o lençol freático ou em terrenos com a presença de materiais arenosos.

 

   Realizada através de equipamento equipado com uma ferramenta chamada “Clam Shell” que pode ser acionado a cabo ou hidraulicamente e realiza escavações com espessura variando de 30 cm a 120 cm e comprimento de 2,50 m ou 3,20 m.

 

   Sua execução consiste em: execução de mureta guia, escavação, montagem do painel e concretagem.

 

- Execução de mureta guia

   Executada para guiar o Clam Shell sendo constituída por 02 (duas) paredes paralelas de concreto, executadas junto às divisas com a distância entre si igual à largura do Clam Shell mais 5 cm e dimensões determinadas em projeto.

 

 - Escavação

   Realizada com o auxilio do Clam Shell e iniciada por uma lamela ou painel primário, o painel seguinte ao primário é o seqüencial e o escavado entre dois painéis existentes é o painel de fechamento. Atingida a profundidade de 1,00 à 1,50 metros é iniciado o bombeamento do fluido estabilizante que tem por objetivo evitar o desbarrancamento.

 

   Durante o processo de escavação é necessária a constante verificação dos instrumentos que regulam a verticalidade do Clam Shell.

 

- Montagem do painel

   Terminada a escavação, inicia-se a colocação das chapas junta e chapa espelho, colocação da armação e instalação do tubo tremonha.

 

   A Parede Diafragma é executada através da escavação de painéis sequentes, cuja continuidade é assegurada pela introdução de chapas juntas. As chapas-junta são montadas verticalmente nas laterais da escavação, com a seção trapezoidal virada para dentro da mesma, formando assim uma junta fêmea, que na concretagem do painel sequente será preenchida, solidarizando-se com este e sendo retiradas após o endurecimento do concreto.

    As chapas espelho são colocadas na lateral do painel, no lado interno da parede e servem para melhorar as condições de acabamento do painel.

 

   Após a colocação das chapas juntas e chapas espelho é instalada a armação previamente montada que deve ser suficientemente rígida para ser içada por guindaste e conter duas alças para içamento e quatro alças para travamento na mureta guia, a seguir é instalado o tubo tremonha.

 

- Concretagem

   Após a colocação de todo o paramento no painel escavado, devemos observar as características físicas do fluido estabilizante conforme parâmetros estabelecidos pela NBR 6122

   A concretagem da Parede Diafragma é executada de baixo para cima, continuamente e, sendo o concreto mais denso que o fluido estabilizante, expulsa a mesma sem que ambos se misturem. A medida que o concreto vem subindo a lama é bombeada de volta para os reservatórios da central e o tubo tremonha é levantado devendo sua extremidade inferior ficar imerso pelo menos 1,5 metros dentro do concreto para garantir que não se forme juntas frias.

 

   O concreto utilizado deve ter alta trabalhabilidade e fluidez para sair do tubo tremonha e se espalhar por toda a escavação, para cima e para o lado e nesse movimento deslocar a lama bentonítica.

 

   O concreto tem que ser lançado ininterruptamente e a concretagem concluída no menor tempo possível. Após a concretagem, quando do início da pega do concreto, iniciamos lentamente a extração das chapas juntas, que se completará somente quando completar a cura do concreto.

Menu

 

Contate a Fundamenta

 

Rua Eugênia Sá Vitale, 1.015 - São Bernardo do Campo - SP

 

Tel: +55 (11) 4361-5363
Fax: +55 (11) 4178-1610


Email: fundamentaeng@fundamentaeng.com.br

 

Solicite Contato

© 2014 produzido por FUNDAMENTA, mantido por FUNDAMENTA